(61) 3424-2500 | (61) 9 9857-4025 (WhatsApp) reservas.agb@redebristol.com.br

Construído em apenas 10 dias, o prédio também é conhecido como Palácio das Tábuas

Dicas do Allia Gran Hotel Brasília

Catetinho em Brasília

Foto: OPY Imagem

A décima obra que iremos apresentar hoje na nossa lindíssima Coleção Conhecer e Visitar: Prédios e Projetos Famosos de Brasília é o Catetinho. Queremos que você Conheça Brasília com o Allia Gran Hotel Brasília! 

O prédio foi a primeira residência oficial do presidente Juscelino Kubitschek no planalto central e hoje é um museu aberto à visitação pública.

Entrar no prédio e andar pelas salas projetadas pelo lendário arquiteto Oscar Niemeyer é como mergulhar em um livro de história, conhecer o passado de perto e sonhar com o futuro.

Aqui no Blog “Conhecer Brasília com Todo Conforto” já abordamos um pouco sobre o Catetinho, mas hoje vamos desvendar os detalhes, as informações e, principalmente, as curiosidades que rodeiam o Palácio das Tábuas. Vamos lá?

Museu Catetinho em Brasília

Foto: OPY Imagem

Dez dias

Esse foi o tempo necessário para construir o Catetinho: apenas dez dias! E a ideia? Surgiu em um bar no Rio de Janeiro, no encontro de um grupo de dez amigos de JK, entre eles o arquiteto Oscar Niemeyer.

A rapidez da obra tinha motivo: abrigar o presidente e ter um local apropriado para ele e sua equipe trabalharem, visto que o Senado Federal havia aprovado, em setembro de 1956, a mudança da capital brasileira para o interior do país.

O presente dado pelos amigos ao presidente não foi apenas um gesto carinhoso, mas também um importante incentivo para JK, que agradeceu e exaltou o feito no dia da inauguração: “Se meus amigos praticaram este milagre em tempo recorde, apenas com idealismo e sem recursos oficiais, por que não poderei construir a nova Capital, já que disponho, no Governo, de toda uma infra-estrutura administrativa e de recursos financeiros?”.

Respeitando as raízes

O nome do prédio foi uma singela e delicada homenagem ao Palácio do Catete, até então sede do governo federal desde o século XIV, e foi dado pelo violonista e seresteiro Dilermando Reis.

Curiosidade! Apesar de ser oficialmente conhecido como Residência Presidencial, Juscelino Kubitscheck não morava de fato no Catetinho, apenas pernoitava algumas vezes. O local recebeu renomadas visitas, como a Rainha Elizabeth II, da Inglaterra.

Um espaço singular

Assim como foi pensado em toda a cidade de Brasília, o local escolhido para a construção do Catetinho foi influenciado pelo conforto oferecido pela natureza: uma nascente.

A fonte de água oferecia um ar mais fresco e úmido, essencial no planalto central, principalmente, em períodos de secas e poucas chuvas. Ao redor, a vegetação fechada, preservada, presenteando os frequentadores com as belezas do cerrado.

O prédio é simples, qualidade esta que encantou JK. Ao andar pelo Catetinho, o visitante pode conhecer a suíte presidencial, a sala de despachos, o quarto dos membros do governo, o quarto de hóspedes e a sala de refeições no térreo.

Catetinho em Brasília - Suíte Presidencial

Foto: OPY Imagem

Além de muitos itens originais preservados e presentes no Museu Catetinho atualmente, exposições de fotografias da época da construção colaboram para uma visão ainda mais real dos primeiros dias “de vida” de Brasília. Como falamos no começo, é como mergulhar em um livro de história, uma visita que vale muito a pena.

Dica: visite também a nascente, o lugar é lindo e transmite uma calma indescritível!

Inspiração para todos

De modo geral, a construção de Brasília foi inspiração pura para praticamente toda a população brasileira, fossem pessoas políticas ou não. A meta imposta por JK de avançar 50 anos em 5, permitia sonhar em um dia e realizar no outro. Era uma nova era, sem precedente, que se construía a passos largos!

Toda essa euforia e esperança também se traduziam em inspiração poética e, o Catetinho, ou melhor, a nascente próxima ao Palácio das Tábuas foi a “musa inspiradora” de Tom Jobim e Vinícius de Moraes, que resultou na canção “Água de Beber”.

Nasceu tombado

Em julho de 1959, o Palácio das Tábuas foi oficialmente tombado pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Na década de 70, o local foi transformado em museu. Sorte a nossa de poder visitar!

Porém, a importância do Catetinho havia sido reconhecida já no exato momento em que foi construído! Prova disso é que na inauguração, em 10 de novembro de 1956, JK deixou o prédio sob responsabilidade da Diretoria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (DPHAN).

Olha que legal! De acordo com a superintendência do IPHAN no Distrito Federal, o Catetinho se destaca por ser um dos monumentos históricos da capital do Brasil que mantém o melhor estado de conservação. Mais um motivo para visitá-lo: história genuína e conservada!

Museu Catetinho - um dos mais bem conservados do Brasil

Foto: OPY Imagem

Bom, deu para notar que o lugar é especial, né? Difere de todos os grandes palácios que já apresentamos aqui, com uma riqueza singular: é o primeiro prédio erguido em Brasília. Testemunha da construção de uma nova cidade, uma nova capital e um novo país.

E, assim, após essa visita incrível pelos primeiros dias de existência da capital brasileira, é hora de você relaxar e curtir o que o Allia Gran Hotel Brasília tem de melhor para te oferecer!

Quartos amplos, camas muito confortáveis, café da manhã completo como cortesia, Room Service 24h, restaurante com cozinha internacional, além de estar muito bem localizado na cidade, facilitando todo e qualquer passeio que você planejar.

Aproveite essas e outras várias vantagens e se hóspede no Allia Gran Brasília. Estamos esperando você!

Prêmios do Allia Gran Hotel Brasilia Suites:

UA-100979074-1